Rude Sofisticado - PZ

PZ

Rude Sofisticado

*Na compra do CD, Vinil, K7 ou VHS receberá imediatamente a versão MP3
TRACKLIST | DOWNLOADS
Play Previews (1:30)PLAYPreço
01 Introdução Maligna
0.90€
02 O Que Me Vale És Tu
0.90€
03 Passeio
0.90€
04 Autarquias
0.90€
05 Mundo
0.90€
06 Croquetes
0.90€
07 Sem Ponta Por Onde Se Pegue
0.90€
08 Horários Marados
0.90€
09 Sempre A Mesma
0.90€
10 Cheque
0.90€
Em 2012, PZ lança-se à descoberta de pessoal estranho com uma atitude fora do normal.
Se és um freak do género Rude Sofisticado, sê bem-vindo.
Para quem não sabe se pertence a esta categoria, informamos que basta reunir as características abaixo descritas:

a) Tens sempre, tipo, 20 cenas para fazer.
b) Só queres passeio.
c) Pensas com detenção e mais de uma vez, sobre o facto de haver putas de origem cubana no Zimbabué. 
d)Tens horários marados.
e) Esta cena do FMI deixa-te em baixo.
f) Sempre que fazes merda, caem-te em cima.
g) Na tua última ceia a ementa seria croquetes e que se foda o bacalhau.

Para o caso de se rever nas supracitadas, não há motivo para alarme: és alguém com uma atitude excepcional. Fica a mensagem: tá-se bem, tás aqui, tás ali, tá-se bem, ok? 
Rude Sofisticado é o novo disco do PZ.

Se reconhece características de algum familiar ou amigo encaminhe-o com urgência para a Meifushop.
Reviews
09 Out 2012 Público (Ipsilon)
Apesar das referências é um objecto insólito, não filiado em escolas ou inclinações, feito de distensões electrónicas e digitalismos saltitantes que navegam a velocidades variáveis sem nunca se deixar enredar na dinâmica dançante óbvia. É rigoroso mas ao mesmo tempo exala um gozo enorme. Bom, portanto.
Vitor Belanciano
25 Jul 2012 BandCom
"Rude Sofisticado" é como luz para olhos adormecidos. É pop - pois claro - rude não apenas no imediato tom de desafio, quase nihilista, à métrica, mas também no conteúdo das palavras, que são terrivelmente mordazes e realistas. É pop sofisticada, de construção cinzelada, baseada na electrónica e na tecno-pop alemã cerebral e provocativa.
Não, não é uma espécie de "electrónica de intervenção", porque sobra sempre o gozo e o divertimento de temas como "Croquetes", "Passeio" ou "Horários Marados", e por isso, PZ é a sério, mas tem piada.
André Gomes de Abreu
23 Jul 2012 Disco Digital
PZ é um extra-terrestre na galáxia pop portuguesa como Reininho nos anos 80 ou António Olaio (e Reportér Estrábico) nos anos 90, consciente que sem «Croquetes» não há almoços grátis. Nitidamente, não é esse o seu intento; por agora, ficamos com as provocações inteligentes de alguém que sabe muito bem o que está a fazer.
Davide Pinheiro
19 Jul 2012 Revista Sábado
Com uma filiação techno-pop a música de PZ abre a porta do dadaísmo e é uma espécie de arma contra o pretensiosismo. "Rude Sofisticado" está repleto de observações absurdas e inquietações niilistas, que se refectem, por exemplo, numa das mais perfeitas odes aos croquetes. A canção "Croquetes", carregada de uma estupidez saudável, é o hino perfeito para alguém cujas preocupações oscilam entre o pagamento de facturas e o seu prato preferido, com tempo para um reflexão sobre a origem caribenha de algumas prostitutas no Zimbabwe.
Filipe Lamelas
23 Jun 2012 Expresso "Atual"
Cantar em português 'fica-lhe muito berm' e a opção tecnologica 'também não está mal'. Mas os tempos são outros: e PZ Pimenta não muda os modos expostos em 2005 para abraçar a 'causa tecno' ou aderir à libertinagem estética onde a pop nacional, por fim, se banha.
Ricardo Saló
13 Jun 2012 Flur Discos
PZ mantém o rumo com beats old school correctos e a voz muito associada à histórica vanguarda pop da cidade do Porto. Reflexões sobre amor, política e sociedade em misto de ironia e convicção, tudo cantado em tom grave, melódico e com dicção quase sempre impecável. Não gozamos, se alguém aqui goza é ele. Completo OVNI auto-suficiente no panorama pop português, um excepcional momento de bom-gosto meio pateta, o que significa que PZ não se leva provavelmente demasiado a sério mas sabe perfeitamente o que faz. A cena toda é que o faz muito bem.
Flur Discos
12 Jun 2012 Jornal de Letras
Tem uma música para elogiar os croquetes e outra para falar da corrupção nas autarquias. Electrónica de intervenção é uma classificação estranha para falar da nova aventura de PZ. Um one-man-show de um músico irrequieto, membro da Zany Dislexic Band e fundador da Meifumado.
Manuel Halpern
Outros albúns