Cimo de Vila Velvet Cantina - Corona

Corona

Cimo de Vila Velvet Cantina

*Na compra do CD, Vinil, K7 ou VHS receberá imediatamente a versão MP3
TRACKLIST | DOWNLOADS
Play Previews (1:30)PLAYPreço
01 Queres-te vir?
0.90€
02 CV (com Alvy Vegas)
0.90€
03 As Fufas do Pibx
0.90€
04 O Director Criativo
0.90€
05 Fruta da Ilha (com 4400 OG e Kron Silva)
0.90€
06 Chino no Olho
0.90€
07 2 Músicos 4 Mãos
0.90€
08 Meio Crocodilo (com Mike El Nite e Fred&Barra)
0.90€
09 1/4 de Selo
0.90€
10 Bangla (com Kron Silva)
0.90€
11 Mafiando Bairro Adentro
0.90€
12 Noite de Natal em Cimo de Vila (com Alferes M)
0.90€
13 Redenção na Igreja dos Grilos
0.90€
14 Por Aqui?
0.90€
15 Andar Oh Cheiro das Minadas (com Alvy Vegas)
0.90€
16 Trindade James
0.90€
Depois de dois álbuns editados em 2014 e 2015 (Lo-Fi Hipster Sheat e Lo-Fi Hipster Trip), o Conjunto Corona está de volta com o seu terceiro álbum em 3 anos. 
A “ópera Hip-Hop Psicadélica/Rock & Roll aditada por molho de francesinha” (como um dia foi apelidada por Álvaro Costa) continua neste capítulo com a narrativa a tomar lugar na tão portuense Rua de Cimo de Vila, reconhecida pelos seus distintos clubes noturnos de diversão.
Depois da ascensão e queda narradas nos álbuns anteriores, este terceiro capítulo gira à volta do estabelecimento que o personagem Corona, influenciado pelo seu novo role model (o reconhecido entrepreneur de Las Vegas Big Daddy Carlos), decide abrir em Cimo de Vila.
Da fusão entre o prestigiado “Velvet Margarita Vantina” e a Rua de Cimo de Vila nasce o “Cimo de Vila Velvet Cantina”, um local que não tem multibanco mas que lhe pode proporcionar uns bons momentos de lazer na baixa da Cidade Invicta.
Com as participações de Kron Silva, Alferes M, Mike El Nite, 4400 OG, Fred&Barra,, Miguel Azevedo (Plus Ultra) e ainda Alvy Vegas (alter ego de Álvaro Costa) este é um álbum híbrido que navega entre os universos do hip hop e do rock psicadélico.
Conta com o selo da Meifumado Fonogramas e tem edição física em formato VHS, só para maiores de 18 anos.
Reviews
02 Jan 2017 Bodyspace
Os Corona não são Jesus, mas fazem parte da salvação; da ideia que é possível construir um hip-hop melhor na tugalândia, eles que já são expoentes de uma outra nação, a do Porto. Posto isto, venham daí essas putas.
25 Dez 2016 Punch Magazine
Os beats são um menage à trois entre o hip-hop, o rock psicadélico e as bandas sonoras da industria pornográfica dos anos 80… Uma junção tão invulgar que é brilhante. (...) Cimo de Vila Velvet Cantina é um álbum conceptual, sem pudores, cheio de musicas orelhudas, obrigatório para qualquer amante de hip-hop alternativo…ou da industria pornográfica.
18 Nov 2016 Público
As aventuras do anti-herói Corona continuam a ser música para os nossos ouvidos.
Sabem manter o sabor “caseiro” da sua música, como um grupo de amigos meios destravados a cuspir rimas numa garagem.
Outros albúns