Running Themes - Pplectro

Pplectro

Running Themes

*Na compra do CD, Vinil, K7 ou VHS receberá imediatamente a versão MP3
TRACKLIST | DOWNLOADS
Play Previews (1:30)PLAYPreço
01 Vibrocil
0.90€
02 Chicaboom
0.90€
03 Clarendon High
0.90€
04 Fancy Weapon
0.90€
05 Feias Artes
0.90€
06 TX Effect
0.90€
07 Pink White
0.90€
08 Forgetting
0.90€
09 Bloomy Gloom
0.90€
10 Sambinha Maneiro
0.90€
11 Astro Boy
0.90€
12 Bassómetro
0.90€
13 Fedelho Mal Parido
0.90€
14 Urbano Depressiva
0.90€
15 Gear Up
0.90€
16 Kuysh
0.90€
17 Inner Drive
0.90€
"Tirem esse disco antes que alguém (coberto de suores frios) se atire pela janela."
Definitivamente só para pessoal com estômago forte, Pplectro domina as crises existenciais de formas de vida não orgânicas. É como ouvir um requiem composto por um computador obsoleto em memória de tempos mais simples, devastador... e ao mesmo tempo, muito divertido.
Reviews
06 Jun 2005 DN: Música
Running Themes é um exemplo acabado de electrónica doméstica, com uma base de experimentação que é também pretexto de brincadeira. Entre o abstracto e o francamente dançável, uma interessante experiência de lo-fi electronics, ou, nas palavras do autor: "uma experiência laboratorial, um disco para viajar".
Isilda Sanches
05 Fev 2005 Expresso: Actual
O século XX ainda ia a meio e já Philip K. Dick queria saber se os andróides sonham com carneiros eléctricos. No início do terceiro milénio, o mundo real continua longe da utopia cibernética, mas a música já há muito tempo que por lá anda. Nesta perspectiva, valerá a pena averiguar se a pop nacional está, por fim, apta a responder à clássica questão futurista. Quer dizer: terá ela descoberto na era da electrónica estímulos, ideias e matéria para reflectir, discorrer e criar riqueza estética à volta da encenação de realidades supostamente vindouras? Ouvindo Running Themes apetece arriscar uma variante pessoana que consistiria em perguntar se não andam os portugueses simplesmente a sonhar com andróides.
Ricardo Saló
14 Jan 2005 Público: Ípsilon
O sentido lúdico prevalece ao longo de 18 temas instrumentais que promovem elegantes piruetas, desconexas cambalhotas, corridas aleatórias e distensões digitais a velocidades variáveis, que nunca se afastam da direcção electrónica principal, trabalhadas com rigor e muita reinação à mistura.
Vitór Belanciano
21 Dez 2004 Blitz
Que nenhum rato de laboratório julgue já ter corrido ao som de tudo; que nunhuma máquina de encolher ritmos se julgue imune à bola de espelhos. Para dançar com os nerónios todos - ou pelo menos com os que restam.
Sérgio Gomes da Costa
Outros albúns